quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Fazenda Poço do Negro – Nazaré do Pico, PE.

Por: Ana Lucia Granja Souza

Recentemente eu visitei a cidade de Floresta e de lá segui para Nazaré que é um dos três distritos que constituem o município com uma população, segundo os moradores, de aproximadamente 300 pessoas. Este importante povoado foi palco de muitas escaramuças praticadas por Lampião e seu bando.


Igreja de Nossa Senhora da Saúde em tempo de festa.

Alguns quilômetros da vila de Nazaré, dentro de um cercado particular e ao lado de um assentamento, encontra-se a Fazenda Poço do Negro ou o que restou dela, que foi a primeira residência dos Ferreira em 1917 após uma apressada mudança do Sítio Passagem das Pedras, localizada em Serra Talhada, sul da cidade de Floresta para este distrito fugindo das contendas do vizinho, o então inimigo Zé Saturnino, buscando um pouco de paz. O que não aconteceu.


 O primeiro refúgio dos Ferreiras que já foi assim...

...se encontra reduzida a pó e entulhos.

Poço do Negro está abandonada. Esta foi à constatação que fiz logo ao entrar no antigo território dos Ferreira. Ao lado observa-se o pé de umbu-cajá plantado por Lampião, assim atribuída a ele esse feito, com suas folhas caindo sendo levadas pelo vento, amareladas, de tronco envelhecido pelo tempo, o que é natural, mas viva, bem viva, e de frente as ruínas da casa de tijolos grandes e vermelhos que o tempo também se encarregou de levar, de desfazer.

Alguns objetos da casa foram levados como forma de “lembrança histórica,” como pilão, ralador, moedor e até talheres e copos deixados por eles numa segunda mudança para Alagoas, assim dizem os antigos moradores sobre este fato. Do outro lado, observa-se a Serra do Pico em que Lampião por muitas vezes ao avistá-la, guiava seus rumos por este sertão.

Poço do Negro merecia ser preservada, merecia que pessoas compromissadas com a história do Brasil mantesse este importante Sítio histórico de pé, é muito triste quando vimos uma parte relevante de uma época sendo esquecida e desprezada, sabemos o quanto é complexo este processo de preservação, por isso, é sempre bom conhecermos mais, valorizarmos mais, participar e divulgar esse lado da história de forma sensível e dinâmica.

4 comentários:

RUBELVAM LIRA disse...

Muito obrigado a todos aqueles que postaram matéria, dizendo o que foi o meu pai. Na verdade nós da família nos orgulhamos em ter tido um pai tão carinhoso e amigos de todos, pois por onde passou como delegado de polícia só deixou amigos é por isto que nos orgulhamos. Quanto ao Poço do Negro é lamentável está tudo acabado, mais quem sabe se agente um dia poderemos recupera-los. Obrigado Anninha pela matéria.

rubelvam lira disse...

Anninha gostou muito do seu comentário, gostei também das fotos, onde vc encontrou essa foto da casa de Lampião? gosteria que se posível mandasse uma para mim, pois eu preciso muito dela para fazer um trabalho. Obrigada

Kiko Monteiro disse...

Saudações Rubelvam
Esta foto compoe o acervo do padre e escritor Frederico Bezerra Maciel "Lampião Seu tempo e seu reinado", não sei precisar o volume. Foto feita na ocasião da visita que o Padre fez a nossa querida Nazaré. Basta copiar ai da matéria a creditar ao escritor.

Abraçando!

Anônimo disse...

Pois é companheiros, o ideal seria preservar a primeira casa dos Ferreiras; a segunda casa dos Ferreiras; a terceira casa dos Ferreiras, e também a casa de Zé Saturnino. Mas neste nosso País, quase nada se preserva. Parabéns a autora do texto.
Antonio Oliveira - Serrinha - E-mail: antonioj.oliveira@yahoo.com.br