segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Dois grandes defensores de Mossoró

Curiosidades sobre o soldado João Batista e o cabo "Pastel".

Soldado João Batista, Cangaceiro Jararaca e o Soldado João Arcanjo
(Foto de José Octávio)

O soldado João Batista nasceu no dia 24 de Junho de 1901, em Santana do Matos. Ingressou na Polícia Militar no ano de 1921 e em 1927 enfrentou, talvez, sua mais importante batalha em toda carreira policial, que foi a invasão do bando de Virgulino Ferreira, o Lampião, à cidade de Mossoró.

Entre outros, João Batista foi um dos valorosos componentes da PM que se juntou a população local para defender a cidade. O seu nome consta como participante da "Trincheira do Esgoto" onde fica a atual Praça Rodolfo Fernandes, conforme consta na relação gravada em placa afixada ao monumento existente ao lado da Igreja de São Vicente.

Com ímpeto forte e não querendo ver sua cidade saqueada pelos cangaceiros, João Batista não se aquietou e de acordo com o historiador Raul Fernandes, no seu livro A Marcha de Lampião - Assalto a Mossoró, também fez parte da trincheira comandada pelo próprio prefeito de Mossoró, Sr. Rodolfo Fernandes.

Já após a derrota do bando, que custou a vida do Cangaceiro Colchete e a prisão do cangaceiro Jararaca, o Soldado João Batista chegou a fazer parte da guarda do cangaceiro, enquanto esteve sob os cuidados da PM.

João Batista foi transferido para a reserva da PM em 31 de Julho de 1959, como terceiro sargento. Faleceu em 18 de Dezembro de 1990, aos 89 anos, em Mossoró, sendo considerado um homem bravo e corajoso, o que lhe permitiu em vida ser agraciado com uma medalha e certificado de honra ao mérito, pelos feitos durante a "Grande Resistência ao Bando de Lampião".

  Boletim Regimental que promoveu os soldados João Arcanjo e Minervino Fagundes

A histórica fotografia que aparece José Leite de Santana, o célebre cangaceiro Jararaca ao que parece foi tirada pelo fotografo J. Otávio. Alguns autores dizem que na verdade J. Otávio era apenas o dono do estúdio onde a foto foi revelada. De qualquer forma o crédito de autoria da foto deve ser dele. Ela consta em inúmeros livros, museus, etc.

TOXINA, com informações do Livro, 2º BPM, Notas para a História, de Antônio Nonato de Oliveira e do Coronel Ângelo, historiador da PM.

Cabo Pastel, o policial que matou Colchete

Rara fotografia do Sargento Pastel, autor da morte do cangaceiro Colchete

Acostumados a pilhar cidades inteiras, o bando do cangaceiro Lampião conheceu em Mossoró sua primeira derrota. Por volta de 16h:00 do dia 13 de Junho de 1927, Lampião e seus cangaceiros invadiam a cidade de Mossoró os quais foram recebidos e expulsos à bala pelos corajosos mossoroenses.

Entre os cidadãos que se encontravam nas várias trincheiras armadas pela cidade, estavam alguns policiais que pertenciam ao contingente policial local.

Um deles era o Cabo Leonel da Silva Pastel, pouco conhecido na história e cuja única fotografia foi descoberta tem pouco tempo pelo Coronel Ângelo, historiador da PMRN.

Conforme Boletim Oficial da PM, o Cabo Pastel teria sido o responsável pela morte do cangaceiro Colchete e também teria sido o autor da prisão de Jararaca, ferido no peito quando tentava ajudar seu companheiro Colchete.

Por tais razões, Pastel foi promovido ao Posto de Sargento, tudo isso registrado no Boletim Regimental da PMRN, nº 166, datado de 15 de Junho de 1927. Além disso, também foram promovidos ao Posto de Cabo, os soldados Minervino Fagundes e João Arcanjo, pela coragem com que ajudaram a população a enfrentar a investida do Bando de Lampião, tudo isso, registrado no Boletim Regimental nº 172, de 21 de Junho de 1927.

Outro policial que participou da defesa da cidade está na famosa foto em que Jararaca aparece ferido e escoltado por dois soldados. João Batista é o soldado que está com um pano amarrado no queixo motivado por uma forte dor de dente ou papeira e que também foi posteriormente promovido a sargento; chegou a ser agraciado com uma medalha da Prefeitura de Mossoró pelo reconhecimento a sua coragem e valentia no combate aos cangaceiros.

 Boletim Regimental que promoveu o cabo Leonel da Silva Pastel

O outro policial da foto, não mencionado nem mesmo pelos historiadores mais renomados é o soldado João Arcanjo. Depois de várias pesquisas nos arquivos históricos da PMRN, o Coronel Ângelo colheu informações precisas que indicam como sendo João Arcanjo o outro soldado que aparece na fotografia.


As informações são do historiador da PMRN, Coronel Ângelo Mário de Azevedo Dantas. Postado no Blog Toxina. página do pesquisador sargento Gama. Este fato dentre outros estarão com mais riqueza de detalhes no livro: Cronologia da PM/RN - de 1834 a 2009 do Cel. Angelo, que brevemente estará à venda.

Mas os Créditos são de: Nildo Alexadrino, que descobriu no Toxina, copiou e divulgou na Comunidade do Orkut Lampião, Grande Rei do Cangaço Clique, conheça e participe. 

7 comentários:

Anônimo disse...

Amigo, sabe dizer se é o Nildo ou o blog toxina que poderá me fornecer maiores informações sobre esse assunto do tal sargento pastel?
grato, cabo Jota Silva - da PM da paraíba.

Anônimo disse...

Conheço de perto o sargento da PM Gama que trabalha em Mossoró, autor do blog TOXINA. FOI ELE QUEM ORIGINOU ESTA POSTAGEM através do blog dele.
Seria justo que o lampião aceso também oferecesse créditos ao sargento Gama.
O Nildo Alexandrino somente teve o trabalho do velho CTRL C + CTR V.

Kiko Monteiro disse...

Sr anônimo

Após sua sugestão, já editamos o artigo apenas destacando os créditos "que já estavam aí" para o autor do blog Toxina, e criamos um Link.

E aproveito para sugerir ao outro anônimo, cuja mensagem foi deletada que percorra melhor o Blog procure ocorrencias em todos os nossos artigos clicando no primeiro campo superior esquerdo. Antes de "exigir" uma determinada informação. Ela de repente já consta. Senão? mãos a obra no que for possível com muito prazer e sem cobrar nada.

O confrade Nildo tem os créditos por ter copiado "fez uma divulgação da pesquisa do Toxina" e postou no Orkut. Eu então copiei o post que lá estava. Ele talvez nem saiba que veio parar no Blog.

Sr. Jota Silva clique no link TOXINA e comente solicitando auxilio ao repectivo autor. Este poderá lhe indicar os documentos completos para sua pesquisa.

Boa Sorte.

Abraçando a todos!

Anônimo disse...

Sugiro acessar o blog Toxina. Lá estão postados outros excelentes artigos, refiro-me especificamente ao assunto O GRANDE FOGO DA CAIÇARA, ocorrido no dia 10 de junho de 1927, na então Vila de Vitória, atual cidade de Marcelino Vieira/RN, no qual morreram o cangaceiro Azulão e o soldado da PM/RN José Monteiro de Matos. Em junho de 2007 foi criada a Medalha Comemorativa dos 80 anos desse episódio, a qual foi entregue em significativa solenidade.
Atenciosamente,
Angelo Mario de Azevedo Dantas, pesquisador da PM/RN.
dantas.angelo@ig.com.br

Anônimo disse...

Kiko.
Com relação as fotos das trincheiras e Mossoró, após a resistência do 13 de junho de 1927, e do Jararaca na prisão, inclusive ladeado pelos dois soldados, são, sim, da autoria do José Octávio, dono do Atelier J. Octávio. Agora... As fotos feitas em Limoeiro do Norte-CE, que em muitos livros aparecem como de autoria do José Octávio, estas são do fotógrafo limoeirense Chico Ribeiro, que trouxe os negativos e as revelou no Atelier mossoroense.
Melhores informações estão no livro "Nas Garras de Lampião - Diário do Cel. Gurgel" - Antonio Gurgel & Raimindo Soares de Brito. 2ª edição 2006.
Kydelmir Dantas _ Mossoró-RN.

Kiko Monteiro disse...

Obrigado confrade Kydelmir vamos fazer esta observação em todas as matérias que apresentarem as aludidas imagens creditando aos seus autores.

Abraçando!

José Mendes Pereira disse...

Senhores escritores: Kiko Monteiro, Kildemir Dantas e demais que participaram deste trabalho:
Apesar de ser mossoroense, eu ainda não tinha conhecimento quem seriam os dois policiais que se encontravam aos lados do cangaceiro Jararaca. É claro que eu já conhecia a história do cangaceiro, mas jamais tive a curiosidade de procurar saber os nomes destes soldados. Nas placas que homenageiam os resistentes de Mossoró, eu tenho uma vaga lembrança que já havia lido os seus nomes, mas não com convicção quem os seriam. Agora encontrei os nomes dos dois sentinelas que acompanham o Jararaca.

Desejo aos confrades do Cariri Cangaço e todos os seus familiares: “UM FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO”.

José Mendes Pereira- Mossoró-Rn.