terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Cangaço em HQ: Um clássico e uma novidade!

As aventuras de Milton Ribeiro 
Por José Salles

Os primeiros anos da década de 50 do século passado foram de grande vulto para o cinema brasileiro, com a exibição de um filme que se tornaria um grande clássico entre os cinéfilos: O Cangaceiro, de Lima Barreto (não é o famoso escritor carioca, mas um homônimo), que ganhou prêmios no exterior e transformou seu principal protagonista, Milton Ribeiro, em astro de renome internacional.

Na época, Ribeiro tinha como vizinho um artista das Histórias - em - Quadrinhos, e com isso pensou em contatá-lo para uma possível versão do filme O Cangaceiro para as páginas de gibi. O artista em questão atendia pelo nome de Gedeone Malagola, então um jovem de 30 e poucos anos que dava seus primeiros passos como roteirista e ilustrador de HQs na paulistana Editora Júpiter, de Auro Teixeira (Ribeiro e Malagola residiam em Jundiaí, próximo da capital paulista).

As negociações para se conseguir os direitos do filme não avançaram, e Milton Rodrigues pensou em transformar a si mesmo, ou por outra, apresentar um personagem vestido de cangaceiro chamado exatamente... Milton Ribeiro! E o ator deu carta branca ao vizinho & amigo Gedeone, só exigindo que o personagem fosse totalmente voltado ao Bem, e por isso que o Milton Ribeiro do gibi é diferente do sádico & violento Capitão Galdino, personagem que o ator interpretou no laureado filme. Muito ao contrário, Milton Ribeiro estava sempre ao lado da lei e da justiça.




Milton Ribeiro em Quadrinhos começou a ser publicado pela própria Editora Júpiter em Aventuras No Sertão (no ano de 1953), e posteriormente na famosa revista Vida Juvenil de Mário Hora Júnior, onde a série foi publicada por quase dez anos, e, mesmo não tendo aparecido em todos os números, tornou-se um inesperado sucesso entre os leitores, sucesso que durou quase uma década.




 



E com a longevidade a série foi ganhando alguns outros personagens, como Filhota (uma versão da Luzia-Homem, eventual parceira de Milton Ribeiro, em algumas aventuras tendo destaque principal) e o delegado Ricardo – que fisicamente se assemelhava ao próprio Gedeone (que também tinha por hábito desenhar colegas seus como personagens das histórias). Gedeone, a propósito, já demonstrou na ocasião muita criatividade (a marca de sua carreira), neste personagem que lhe exigiu muito estudo também, haja vista a adaptação que fez do romance de José de Alencar, O Gaúcho, e também sua polêmica versão sobre o conflito de Canudos. (JS)

 Gedeone Malagola (de pé) e Milton Ribeiro.

Pesquei no Salles Fanzineiro
Primeira imagem: Guia dos quadrinhos

Lançamento - Pau de Arara de Leandro Gonçalez

Leandro Gonçalez, quadrinhista e artista plástico da vizinha cidade de Bauru, lança o fanzine Pau de Arara (18 páginas p&b - lembrem-se que em fanzine a capa, contracapa e versos também são consideradas como páginas) mostrando, através do tema do cangaço, peculiaridades do semi-árido nordestino. Gonçalez recentemente promoveu em sua cidade uma exposição dos trabalhos do artista plástico José Lanzelotti (de obra profícua e diversificada, conhecido entre os fãs da HQB por seu Raimundo, O Cangaceiro), e usa aqui tema & cenário muito usados por Lanzelotti em seus anos de trabalho.

Mesmo aqueles que não se entusiasmarem pela temática, hão de reconhecer o talento de Gonçalez, que desenha bem pra caramba. O fanzine foi lançado em dois tamanhos, no formatinho e no formatão. Infelizmente não há e-mail nem endereço para contato, mas digitem “Leandro Gonçalvez-Bauru” na busca do Orkut, que vocês o encontram lá.

Texto: José Salles – Fonte: Jupiter2hq
 Pesquei em Editora EMT

Nenhum comentário: