terça-feira, 30 de novembro de 2010

Livro novo na praça

Diria quase novo!

Pois fora lançado em agosto, depois em outubro e aparentemente o autor não divulgou em nenhum dos nossos blogs parceiros... Mas tudo em tempo! Estamos aqui vez ou outra "escavacando" a web para deixar os rastejadores a par das novidades. Espiem mais essa!



Escrito por Gouveia de Hélias, “Dias Sem Compaixão - O épisódio da morte do ex cangaceiro Moreno e outras histórias" traz um apanhado de histórias de cunho regionalista, privilegiando certos personagens do período do cangaceirismo e traça ligeira biografia de Lampião. Traz igualmente histórias urbanas que encerram crítica à excessiva violência hodierna.

O poeta e músico pernambucano Mauri de Noronha declara que “Dias Sem Compaixão” o fez compreender com mais clareza a vida própria do seu sotaque nordestino, “que permanece presente apesar do tempo e da distância. Cada uma das cenas narradas pelo autor me é peculiar como se fosse meu, cada torrão ressequido da estrada, cada dor e cada amor conquistado e o amor desfeito”.

Em “Dias Sem Compaixão”, transborda a alma sertaneja e a inesgotável fonte de sonhos brota dos mandacarus, dos leitos vazios dos riachos e da essência de Gouveia de Hélias, capaz de tratar das amarguras com a benevolência das mães.

Sobre o autor

Gouveia de Hélias é formado em Filosofia pela Universidade de São Paulo, onde também frequentou o curso de História Antiga. Tem contos e ensaios veiculados em publicações culturais e revistas eletrônicas. Lança agora seu primeiro livro “Dias Sem Compaixão” e já tem pronto para publicação uma nova obra, intitulado “Através da Borborema”, uma alegoria burlesco-fantástica.

Serviço

“Dias Sem Compaixão”
Autor: Gouveia Hélias
Valor: R$ 24,90
ISBN: 978-85-7869-168-4
Editora: LivroPronto
Edição: 1
Publicação: 2010
Encadernação: Brochura 14 x 21 cm
Número de Páginas: 180

Contato: Gouveia de Hélias: gouveiadehelias@yahoo.com.br

Fonte: http://gouveiadehelias.blogspot.com/

Um comentário:

Ojana Gouveia disse...

Muito bom o texto, nos remete ao cangaço eu recomendo ..
Maria silva, 30 anos