quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Relançado

"A dona de Lampião" da jornalista Wanessa Campos


A primeira edição esgotou-se em meses, mas agora temos nova oportunidade de adquirir este sublime trabalho da pesquisadora pernambucana Wanessa Campos. "A Dona  de Lampião" é um livro caprichado em capa dura, ilustrado. Lançado em Março deste ano retorna as livrarias ampliado para 110 páginas com novas informações. O prefácio é simplesmente de Raimundo Carrero, (prêmio Jabuti 2011).   

 Como se deu a entrada de Wanesa no bando?

“Acorda, Maria Bonita, levanta e vem fazer café...” escutava com  assiduidade a musiquinha na minha meninice em Triunfo, Sertão de Pernambuco, a minha cidade. E, diante da  curiosidade infantil comum, ficava a perguntar a mim mesma, quem era essa Maria dorminhoca que precisava ser despertada para fazer o café? Mais adiante, ainda menina, ouvindo as histórias de Cangaço, fiquei sabendo  que a bonita era a mulher de Lampião. Entendi o enredo mais ou menos.



A dona da Dona
Fonte:  www.ne10.uol.com.br

Já adulta, formada  em  Jornalismo e morando no Recife, fui trabalhar exatamente numa editoria  regional que, fatalmente iria me deparar com fatos  nordestinos. Cangaço, certamente, não seria  uma notícia  fora do contexto. Em 1991 houve um plebiscito em Serra Talhada, terra de Virgolino Ferreira, em torno de uma pergunta: Lampião era herói ou bandido? Dependendo do resultado, ele teria uma estátua na sua cidade. A maioria disse sim, mas a estátua ainda não foi erguida.

Diante de tão importante acontecimento, comecei a ler sobre Cangaço. Fiquei tão deslumbrada que me apaixonei pelo tema. Fiz inúmeras reportagens e  Maria Bonita, passou a ser uma figura de minha admiração. Com a proximidade do seu centenário de nascimento decidi escrever sobre essa mulher tão corajosa tão desafiadora ao seu tempo. Rompeu paradigmas, virou musa, mito e fonte de inspiração até hoje.

Pesquisar sobre a mulher do capitão, talvez tenha sido a minha maior dificuldade profissional. As imprecisões, as contradições da sua vida passaram a ser um desafio. Como “sequenciar” a vida dessa Maria que pouco se sabe sobre ela? Foram dois anos de pesquisas, viagens, consultas em livros e jornais da época. O resultado  está neste livro em formato de reportagem.


Onde, como e quanto

Pra você que reside na capital pernambucana pode ser encontrado nas livrarias Cultura do Recife Antigo ou do Shopping Beira Mar e ainda na Jaqueira. ao preço de R$ 45,00 (Quarenta e cinco reais). Já os Rastejadores do resto do planeta podem entrar em contato com a autora pelo e-mail wanessacampos@uol.com.br

Falando em Maria


Parabéns a Vera Ferreira e Germana Araujo!!!

Nenhum comentário: