domingo, 30 de dezembro de 2012

Relançada em Evento do Movimento Patu 2001

Jesuíno Brilhante em Quadrinhos"                      

      
Durante o aniversário do Movimento Patu 2001 (1997-2012), ocorrido no Bar do músico patuense Cláudio Saraiva, localizado no cruzamento da Rua Aníbal Brandão com a Rua Sucupira, em Nova Parnamirim, na Grande Natal/RN, no último dia 15 de dezembro aconteceu o relançamento da revista de história em quadrinhos sobre o cangaceiro potiguar Jesuíno Brilhante, com a presença do escritor Aucides Bezerra de Sales que divide a autoria da obra com Emanoel Amaral e Luiz Elson.
                                   
O convite para Aucides Sales fazer o relançamento da revista sobre Jesuíno Brilhante partiu do médico psiquiatra e pesquisador social Epitácio Andrade, fundador do Movimento Patu 2001, organização militante de intervenção sócio-política da década de noventa do século passado, que  desenvolveu um conjunto de iniciativas desencadeantes de uma nova safra de pesquisas sobre o cangaço pré-lampiônico no oeste do Rio Grande do Norte e fronteira paraibana.


 Seu Joaquim Oliveira e Dona Carmelita Rocha (1981)
                               
Os trabalhos de campo para a elaboração de "Jesuíno Brilhante em História de Quadrinhos" começaram no início da década de oitenta do século passado, quando os pesquisadores Aucides Sales e Emanoel Amaral foram acolhidos/recepcionados na Fazenda Lajes, na zona rural de Patu, no médio-oeste potiguar, pelo casal formado pelo agropecuarista Joaquim de Oliveira Rocha e pela professora Carmelita Rocha, no ano de 1981, época da primeira edição da revista.


 Aucides Sales com integrantes da diretoria da ACUP DE 1987.

      Em Patu, terra natal de Jesuíno Brilhante (1844-79) e principal epicentro de suas ações cangaceiras, no ano de 1987 foi viabilizada uma segunda edição da revista com o apoio da prefeitura municipal (Gestão 1983-88) e da Associação Cultural Universitária Patuense (ACUP), que em grandiosa jornada universitária promoveu o seu lançamento. Por ocasião do relançamento da revista no aniversário dos 15 anos do Movimento Patu 2001 e dos 25 anos da grande jornada universitária, o professor Aucides Sales posou para uma fotografia histórica com integrantes da diretoria da ACUP de 1987 (Epitácio Andrade, Giovanni Braga, Tyrone Dantas, Jerônimo Linhares e Canuto Saraiva, representado por seus irmãos Cláudio e Norma e pelo sobrinho Kauê).


 Patu no início do século XX

                     Uma parte do legado deixado pelas pesquisas de campo para a elaboração de "Jesuíno Brilhante em História de Quadrinhos" pode ser sintetizada no resgate da mais antiga fotografia de Patu, capital do cangaço romântico, datada do início do século XX, constituinte do acervo pessoal do escritor e desenhista Emanoel Amaral.


Revista na exposição do Movimento Patu 2001
                    
Durante a festa cultural de aniversário do Movimento Patu 2001, a revista "Jesuíno Brilhante em História de Quadrinhos" fez parte de uma exposição de publicações de interesse do movimento, composta por outras obras de Aucides Sales, e pelos livros "Uma Mudança ao Ceará", da escritora patuense Mocinha Saraiva (Em memória), "A Saga Benevides Carneiro" e "Dudé ou Dedé", do escritor caraubense Dudé Viana, e "A Saga dos Limões - Negritude no Enfrentamento ao Cangaço de Jesuíno Brilhante", de autoria de Epitácio Andrade, além de uma coletânea de folhetos editados pela Casa do Cordel.
                       
Sob os olhares atentos do autor Aucides Sales e do músico-anfitrião Cláudio Saraiva, o tabelião de Parnamirim/RN e fomentador cultural Airene José Paiva Amaral recebeu o primeiro exemplar da revista relançada naquela tarde-noite festiva das mãos de Epitácio Andrade, idealizador do Movimento Patu 2001.


Epitácio anuncia a exposição sobre cultura indígena

                        Ao final do relançamento da revista, o autor Aucides Sales relembrou a parceria com o pesquisador social Epitácio Andrade desde os tempos que era conhecido como "Epitacinho" e fez uma apresentação de um acervo de materiais, objetos e obras ilustrativas da cultura indígena, defendendo a tese de que "a maioria dos personagens envolvidos diretamente com o fenômeno do cangaço tivera descendência e utilizara estratégias indígenas".

Tá tudo lá no www.epitacioandradefilho.blogspot.com.br

Nenhum comentário: