segunda-feira, 5 de março de 2012

A mulher enigmática - quem é ela?


Muitos já conheciam esta imagem de Lampião, mas com a adição de imagens inéditas do vídeo de Abrahão outros fotolitos foram criados e numa destas edições ficou mais evidente a presença desta cabrocha ao lado de seu capitão.

Na famosa foto, logo acima em que o rei do cangaço está costurando com uma máquina Singer, aparece uma cangaceira do seu lado direito ( e do lado esquerdo de quem vê a foto )...

Entendo, em nossa modesta opinião, que a " mulher é a cangaceira "Cristina", companheira de "Português" conclusão esta corroborado pelo confrade Rubens Antonio. Que se valeu de duas caracteristicas marcantes
"Ser sobrancelhuda é um ponto. Aliás Cristina é a nossa Frida Kahlo. Outro é o arranjo decorativo na peça que usa cruzando o peito, abaixo do lenço". 
Respeitamos, opiniões contrárias ( é o princípio democrático). Observem o quadro abaixo, as fotos comparativas, e, tire sua própria conclusão.



Foto: ripada de Antonio Amaury, pg. 186,
in ' Lampião as mulheres e o cangaço "

E ai amigo? Qual seu posicionamento sobre a " identidade da cangaceira enigmática " ? Concordam que seja Cristina? Se discorda, quem seria ela, em sua opinião ? Comente!

Abraço e obrigado pela participação

Ivanildo Alves Silveira
Colecionador do cangaço
Natal/RN

----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Adendo
Antonio Amaury Corrêa de Araújo, em Lampião: as mulheres e o cangaço, afirma que: Cangaceira trair o companheiro era condenada à pena de morte, dentro das "leis morais rígidas do bando". Lídia de Zé Baiano não foi a única a ser punida desta forma. Cristina, foi acusada de ter um caso com o cangaceiro "Gitirana", repentista habilidoso que fazia parte do grupo de Corisco.

Cristina conseguiu adiar a sua sentença de morte por apenas três ou quatro dias. Mulher no bando, Corisco só admitia Dadá. Montada a cavalo, com consentimento de Corisco Cristina foi enviada de volta à família, mas no meio do caminho foi morta a golpes de faca por Luís Pedro e outros homens, que "vingariam" Português e queriam evitar que ela delatasse os pontos de apoio dos cangaceiros.

O crime ocorreu em 21 de julho de 1938, uma semana antes do ataque em Angicos que vitimou Lampião, Maria e outros nove bandidos.

Transcrito de Fundação Joaquim Nabuco

Um comentário:

Nina Maniçoba Ferraz disse...

Gosto muito do seu blog, parabéns. Por acaso você saberia contar a história de Cristina? Como ela veio parar no bando? Deve ter sido "roubada"... Mas muitos destes roubos eram com o consentimento da mulher, ou estou enganada? Na verdade, eu gostaria de saber a história de qualquer dessas mulheres cangaceiras. Caso tenha resposta, eu agradeço se entrar em contato: ninaferraz21@gmail.com. Só tem memória o povo que preserva suas histórias. Obrigada