segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

No lombo de Virgínio Fortuna

Conheça o mais obscuro e "incandiado" capítulo da "estória" do cangaço.

A mais popular das redes sociais, o Orkut, está quase extinto no resto do mundo. E aqui no Brasil começa a cair no conceito de muitos usuários. Estes estão cancelando suas contas e ingressando no "IN" do momento que é o Facebook.

Não tenho o que reclamar do velho Orkut. A interação diária neste site de relacionamentos além de render inesquecíveis amizades nos proporcionou uma riqueza de conhecimento e material. O que já percebi as ferramentas do Facebook não possibilitam.

O artigo a seguir agrega essas duas qualidades pois além de ser uma homenagem unindo ou diria "punindo" oito dos mais de 12 mil participantes da comunidade: Lampião Grande Rei do cangaço nos inspirou a criar novas linhas baseado na literatura cangaceira e seus principais protagonistas. A principio uma notícia de jornal criada por um especialista em armas comentava as ações de bravos volantes contra um tenebroso cangaceiro, Potiguar de Currais Novos José Vanderli, vulgo "Virgínio Fortuna". Depois surgiram outras personagens e a presepada tomou forma. A postagem original é de 2007.

Escrita a "4 mãos" por Fábio Carvalho Costa, Kiko Monteiro e posteriormente por Marcelo Rocha.
Deveria dizer três mãos, mas Marcelo pra se aparecer provou ser destro e canhoto, tecla com as duas mãos ao mesmo tempo.

Créditos: Com exceção de Virginio Fortuna demais montagens fotográficas foram feitas por Laelson Correia. Legendas: Kiko Monteiro.


GAZETA DE NAZARÉ 
12 DE FEVEREIRO DE 1932 
(EM CONJUNTO COM O JORNAL A TOCHA DA LIBERDADE DE RECIFE)


EXTRA, EXTRA A TOCHA TRAZ COM EXCLUSIVIDADE: 
"CAÇADA A CANGACEIROS NO SERTÃO"


Por Theofanes Pedreira Madureira (Fábio Costa)


Seguiu-se nestes turbulentos dias do ano em curso, em plena caatinga sergipana, a histórica união de 2 tropas de estados nordestinos distintos: uma unidade policial militar volante de Sergipe, e outra da Bahia, chefiadas respectivamente pelo 2° Tenente Kiko, e pelo Capitão Fábio.


ten. Kiko
Patente adquirida com recursos do BNDES.


cap. Fábio
Em foto de época que palestrava sobre espingarda de soca.


As duas volantes acompanhadas por este comentarista, marcharam arduamente pelo árido terreno, ressequidas e fustigadas pelo sol, pelo cansaço e pela natureza inóspita da seca caatinga num calor saárico, por uma semana sem descanso ou quartel, com o único objetivo: localizar o coito e os simpatizantes do famigerado Cap. Virginio Fortuna. As unidades policiais informadas que o sanguinário, malvado, excomungado, ruim pra dedéu, etc. etc,etc, cangaceiro, junto com seu estado maior do banditismo rural nestas plagas (afirma-se que os cangaceiros Julio, Djalmir, João queixada de burro, Miguel do Creu, Antônio Ponto fino - não se sabe a causa deste apelido já que o cabra é vesgo! - Joaquim pé de baraúna (eita?!) dentre outros) estaria homiziado nas terras do Cel. Geziel Moura, rapidamente se deslocaram para lá, levando duas metralhadoras "bordadeiras Hotchkiss", que significa "beijo quente" na língua de Sheakspire ** e mais as armas pessoais dos combatentes.


 Única imagem disponível do bandoleiro Virgínio Fortuna.
Nesta imagem de 2007 ele teria posado para um Juiz.


Aliás, antes de irem pra fazenda passaram na Igreja do padre Ivanildo Silveira, que prega a todos na vila que “ função da igreja é acolher a todos e proteger os sofridos, sejam camponeses ou cangaceiros"... desde que tenham a bolsa recheada de vinténs, ele não se sentiu muito bem depois de comer na marra um leitão inteiro com um litro de sal, pimenta e farinha!!


 Reverendo Ivanildo.
Recebeu carinhosamente a nossa equipe... mediante pagamento de indugencias.


Cantando os hinos das gloriosas corporações as tropas invadiram com autorização do interventor do estado a herdade do mal afamado Cel. Geziel, e depois de uma rápida troca de tiros com os jagunços do fazendeiro (que dizem as péssimas línguas medrou, amarelou e fugiu para a caatinga vestido de mulher e cantando "mulher rendeira" e na carreira foi parar no Pará - trocadilho infeliz desculpem), fizeram a tradicional arrepiada geral com Cipó caboclo na titela de meia dúzia de cabra safado, desinfeliz, etc, etc,


As gloriosas tropas ainda fizeram a maior festança com uns garrotes e com a destilaria do Cel. Geziel, que dizem é chegado numa "água que passarinho não bebe, e se beber e voar bate em poste, em árvore etc", depois de saciados com churrasco e cachaça, e terem sido "apresentados" a todas as "meninas" da casa de Dª Branca, seguiram os valentes policiais para o confronto com os cangaceiros do Virginio Fortuna na gruta dos Angélicos.


 
O de terno preto é Cel. Geziel
Sentado ao seu lado de chapéu
é o colega Jal Gomes também coronel
Que juntos já mandaram mais de 20 pro céu.


Assim narra o nosso correspondente a batalha:


"As 6 da manhã a tropa estacionou numa das nascentes da gruta dos Angélicos, cobrindo o flanco esquerdo com uma das metralhadoras, a outra foi apontada diretamente para o centro do estreito caminho que dava acesso ao lugar. O tenente kiko puxou uma bala pra agulha da pistola Mausa caixa de pau, e o capitão Fábio e o Sargentos Âlfredão e "Zé diabo", fizeram o mesmo com as suas Parabellum, a um aceno de mão, as duas unidades avançaram silenciosamente, até que entraram na parte mais aberta dos arvoredos que margeiam a gruta.


Lá infelizmente não se achou nada nem ninguém, depois de uma minuciosa busca pelo pote de ouro do Virginio Fortuna, apenas se achou os restos de um abadá de bloco com as mangas cortadas, que pertenceria a uma das mulheres do bando, e uma reserva de um hotel de Salvador para o carnaval... que fiasco os cabra tinha ido "pulá" carnaval na capital baiana!


Assim para não perder a viagem a tropa prendeu e distribuiu gratuita e fartamente, cacetadas e sopapos em uns vaqueiros e uns tropeiros que encontraram na volta, sob a alegação que estes teriam avisado aos cangaceiros. Bem como fizeram um fuzuê arretado na vila de "furado grande", localidade próxima ao sitio onde ocorreu a palhaç.. quer dizer o combate...


Assina : Theofanes Pedreira Madureira do hospital Municipal do Recife.


PS: minha vista tá limpando, diz o Dr. que em breve volto a enxergar...Ah se eu pego esse miserento do tenente Kiko!!! (que espancou enraivecido o repórter gritando "Em corrida de pato frango não entre meu filho"


Foi assim...


** Nota do editor, em seu entusiasmo e pouco conhecimento da língua inglesa (vide pela grafia medonha de Shakespeare) o correspondente Theofanes Pedreira cometeu esta gafe sobre esta arma "beijo quente" que se perpetua até hoje, ver o artigo sobre armas do cangaço para ter uma compreensão melhor do fato...


Comentários enviados a redação deste tablóide pelo 2º tenente Kiko.


Prezado Sr Theopanes
Eu na qualidade de 2° Tenente venho através deste ofício lhe parabenizar pela cobertura imparcial desta nossa última incursão na incessante caçada ao Virginio Fortuna e seus cabritos...perdão e "suas cabras". E garantir que não permitiremos nenhum ato de censura aos vossos textos, até porque eu sou um dos protagonistas em ações dignas de um Bradock. 


Não me queira mal visse. Ou vai ser um enviado especial á Alemanha. Dizem que tem um cabra imitando Charles Chaplin inclusive o bigode é o mesminho, mas num quer graça tá querendo é arenga.


Outras ocorrências.


- Correio do Seridó no encalço do Virginio Fortuna -.
Olégario Frutuoso (Kiko Monteiro) 
sucursal em Caicó.


O Famingerado Cangaceiro acompanhado de seus principais lugares tenentes em refúgio desconhecido, mantém como refém o nobre Desembargador José Walter. Virginio Fortuna já enviou mensagem em garrafa com bilhete para as forças Baianas comandadas pelo Capitão Fábio com sutis desaforos e o pedido de resgate. Só esqueceu de retirar o líquido antes de depositar os conformes. O que não borrou foi prontamente decifrado por rastejadores bilingues especializados em dialetos extintos


Eis aqui as principais exigências do facínora, malévolo e inescrupuloso cangaceiro:
- Uma passagem com tudo pago direito a acompanhante para a belíssima cidade de Natal no RN com finalidade de conhecer o acervo literário e iconográfico do reverendíssimo Padre Ivanildo.
- O mais novo trabalho do estimado escritor Sérgio Dantas seu livro "Lampião, entre a espada e a lei".
- Todos os títulos em DVD do acervo do Cel. Geziel.
Ele conclui o modesto bilhetinho citando a obra de Alcimar Monteiro
- “Eu quero ver vocês dizer que eu sou ruim”.
Como principal medida contra essas ações o governo baiano está espalhando Out Doors “night and day” pelo sertão do estado com recompensa de $50.000.00 dólares para qualquer “palpite” que leve ao esconderijo do bando ou o resultado do jogo do bicho da extração do próximo sábado.


Na próxima edição deste semanário vamos apresentar a verdadeira causa, motivo, razão e circunstâncias que levaram Virginio Fortuna a ingressar na vida bandoleira.


Olegário Frutuoso da redação...
Aliás, DÁ? dá o escambal, vende textos prontinhos com boas chances de ingresso em qualquer faculdade do nordeste.

7 comentários:

CARIRI CANGAÇO disse...

Maravilhoso, amigo Kiko, também vcs com as bençãos do reverendo Ivanildo, queria o que????

Abraço fraterno e parabens!!!

Manoel Severo

Kiko Monteiro disse...

Obrigado coroné!

Quem sabe em breve não criamos uma saga paralela envolvendo dezenas de confrades do Cariri Cangaço?

Abraçando!

ADERBAL NOGUEIRA disse...

Ivanildo está mais para o Conde Drácula do que para reverendo. Zé do Caixão nem imagina tamanha é medonha concorrência. Valeu, Kiko. Aderbal Nogueira

Kiko Monteiro disse...

Ai dento Aderbal

E ele já considera como tormento essa batina imaginária que inventamos desde que ele adotou a foto do padre Aristides em seu perfil do Orkut.

Obrigado pela atenção

Abraçando!

José Mendes Pereira disse...

O amigo KIKO Monteiro está muito parecido com Mariano Laurindo Granja. Tudo se parece. Só faltou um complemento, a sua companheira das caatingas, a ROSINHA de Lé Soares. Se fosse no tempo do cangaço, com certeza amigo KIKO, você seria confundido pelas volantes policiais.
O Zé Rufino andaria à procura da sua cabeça.
O outro eu não o conhecia nem por fotografia.
Valeu a brincadeira!

Parabéns pela brncadeira de cangaceiros.

José Mendes Pereira - Mossoró-RN.

José Mendes Pereira disse...

O que o escritor Aderbal disse com Dr. Ivanildo, juro que ao ver a foto eu pensei. Mas quem sou eu para dizer uma brncadeira dessa com uma autoridade, já que eu não tenho intimidade com o reverendo?

Foi muito bem bolada a brincadeira dos cangaceiros do século XXI.
Valeu Kiko Monteiro!

José Mendes Pereira - Mossoró-RN.

Anônimo disse...

Grande amigo Kiko, parabéns pela história, muito bom mesmo!
Eu e minha esposa nos divertimos pra caramba, eu de Coronel rsrsrsrs...

Muito obrigado amigo por lembrar...

Aqui em Jaboatão dos Guararapes, vc tem um amigo.

Um abraço e inté...