sábado, 7 de julho de 2012

Bonita Maria do Capitão

É hoje! Abertura oficial no Museu da gente sergipana as 18hs.

De 10 de Julho à 05 de agosto, em Aracaju.


Despertar o interesse sobre a história do Cangaço pela perspectiva da biografia de Maria Bonita. Este é o objetivo principal da exposição “Bonita Maria do Capitão”, que será inaugurada às 18 horas da próxima terça-feira, 10, no Museu da Gente Sergipana, fechando as comemorações ao centenário de Maria Bonita, a companheira de Lampião.

Painéis em lona de 4x2 metros, objetos que pertenceram a Maria Bonita, Bonecas, réplica da vestimenta e projeção em multimídia irão compor o acervo da exposição, que ficará no Museu da Gente Sergipana até o dia cinco de agosto, segundo informou Vera Ferreira, neta de Maria Bonita e curadora da mostra.

“Em 2009, a Sociedade do Cangaço inaugurou uma série de ações comemorativas ao centenário de nascimento de Maria Bonita, com a finalidade de romper com um histórico silencioso sobre a importância da mulher para o movimento do Cangaço, e enfatizar temáticas que discutem gênero, como também expandir o papel social da mulher na estrutura política do movimento. No ano passado lançamos o livro “Bonita Maria do Capitão” e nesta próxima terça-feira estaremos abrindo a exposição que leva o mesmo nome da publicação”, explicou Vera Ferreira.

A partir do livro e da exposição, que foi idealizada e elaborada para entrar para a história literária de Sergipe, a Sociedade do Cangaço pretende também enriquecer a discussão sobre gênero e o movimento no imaginário popular, considerando o apelo da mídia nesse processo; valorizar as artes que tratam das representações de Maria Bonita; e esclarecer acontecimentos históricos, através de  depoimentos que possibilitem a distinção entre mitos e lendas sobre Maria Bonita.

Vera Ferreira destacou que a exposição está voltada para a toda a sociedade, em particular para  docentes, discentes, pesquisadores, escritores, turistas, profissionais da Imprensa e outros formadores de opinião, artistas, artesãos e entidades culturais. Ela enfatizou a importância do patrocínio do BNB Cultural e do Instituto Banese na realização do evento.

Açude: Infonet

Um comentário:

ADERBAL NOGUEIRA disse...

Mais um ponto para a saga do cangaço.
Vamos divulgar a nossa historia.