segunda-feira, 7 de outubro de 2013

"Zé Rufino": Algumas referencias

Por Rubens Antonio
 

José Osório Farias, o "Zé Rufino", nasceu em 20 de fevereiro de 1906, em Pernambuco.Comandante de volante que mais liquidou cangaceiros, adentrou a Força Pública do Estado da Bahia, assentando praça em 2 de janeiro de 1934.

Passou a compor as Forças em Operações no Nordeste - F.O.N.E. Chegou a segundo tenente em 1939. Entre aqueles cangaceiros que eliminou, Zé Rufino destacou, em entrevista, Azulão, Barra Nova, Canjica, Catingueira, Corisco, Maria Dórea, Mariano, Meia-Noite, Pai Velho, Pavão, Sabonete, Zabelê e Zepellin.

À direita na foto acima, reformado como coronel junto a ex-integrantes de sua volante.
Abaixo, sua assinatura:


Em relação ao seu falecimento, anotação no Boletim Geral Ostensivo da Polícia Militar do Estado da Bahia:
E outra anotação no Boletim Geral Ostensivo da Polícia Militar do Estado da Bahia da solicitação de pensão por parte da sua viúva, Maria de Lourdes Vieira Farias, com citação também da sua filha, Zélia Maria de Farias:
 
Pescado ali ó: Cangaço na Bahia

2 comentários:

Anônimo disse...

Caro amigo Kiko Monteiro: O meu boa-noite.
Há algum tempo venho me servindo das matérias escritas pelos grandes pesquisadores do cangaço, e postadas por você. Parabéns companheiro Kiko pelo seu interesse pela história do cangaço, pois para os novos pesquisadores é de grande importância.
Antonio Oliveira - Serrinha-BA. Email: antonioj.oliveira@yahoo.com.br

Anderson Almeida disse...

Aqui no sudeste, nunca falaram dele, nem em matérias, nem na escola. Mais um dos incontáveis heróis anônimos espalhados lor esse Brasilzão