quarta-feira, 29 de maio de 2013

João na pisada do Cangaço

O ataque de Lampião ao coronel Petronilo Reis
por João de Sousa Lima

Quando em 1928 Lampião cruzou o Rio São Francisco saindo de Pernambuco pra Bahia, um dos primeiros contatos foi com o coronel Petronilo de Alcântara Reis "Coronel Petro". Petro era o chefe político de Santo Antônio da Glória, cidade hoje submersa pelas barragens do Rio São Francisco.

Vários livros contam que a amizade de Lampião com o coronel foi desfeita por que o coronel traiu Lampião, teriam os dois uma sociedade em terras e aninais.

Quando houve a batalha que morreu Ezequiel, irmão mais novo de Lampião, fato acontecido na Baixa do Boi, em Paulo Afonso, Lampião encontrou em um dos bolsos de um policial morto no combate, um bilhete do coronel endereçado ao comandante da volante e o bilhete falava dos esconderijos dos cangaceiros.
Lampião arquitetou sua vingança incendiando em torno de 18 fazendas do coronel. Começando de Glória, cruzando o Raso da Catarina, Lampião tocava fogo e matava os animais.
 
 Neste mesmo local ficava um curral queimado pelos cangaceiros.

Dessas fazendas a única que permanece de pé é a fazenda Paus Pretos. Antes Paus pretos pertencia a cidade de Curaçá e hoje pertence a Chorrochó. Em Paus Pretos ainda resta os tornos de madeira com marcas escuras do fogo.



 Dois tornos com marcas do fogo

A fazenda é administrada por Paulo Reis, neto do coronel. Nas cheias forma-se um açude com sete quilômetros de extensão, no momento o açude encontra-se seco. Na casa sede da fazenda Lampião prendeu o vaqueiro Agostinho e o fez entrar dentro do curral e pegar na mão um cavalo e o vaqueiro conseguiu depois de muito trabalho.

Sede da fazenda Paus Pretos

João de Sousa e Paulo Reis, neto do coronel Petro.

 Nesse açude os cangaceiros mataram vários animais.

Os cangaceiros tiraram madeiras do curral e tocaram fogo na casa, quando o fogo começou a tomar os compartimentos da residência um papagaio começou a gritar: Olhe o fogo Maria. Maria, Maria, olhe o fogo. Lampião mandou um cangaceiro entrar na casa, atravessar o fogo e salvar o papagaio. O curral foi todo queimado e os animais mortos.

O local onde Lampião assistiu a primeira missa na Bahia.       

Em 1928 quando Lampião atravessou pro estado da Bahia a região que fica dentro do Raso da Catarina foi muito explorada pelos cangaceiros. a primeira missa que os cangaceiros assistiram no estado baiano foi ministrada pelo  Monsenhor Emílio de Moura Ferreira Santos. o padre era o pároco de Santo Antônio da Glória, a antiga Curral  dos Bois.

 Escombros da casa de Júlia de Subaco

O povoado São José, em Chorrochó foi uma das localidades que os cangaceiros também assistiram missa. Mais a primeira que foi celebrada pelo Monsenhor Emílio aconteceu entre a fazenda Paus Pretos, que pertencia ao coronel Petro e a roça Baixa do Boi. A missa foi na casa Júlia de Subaco, na fazenda poço Comprido.


Pescado no Blog do primo João

2 comentários:

IVANILDO SILVEIRA disse...

BELA MATÉRIA AMIGO KIKO,

ACREDITAMOS QUE, HOJE, O NOSSO AMIGO JOÃO DE SOUSA LIMA, SEJA UM DOS ÚLTIMOS PESQUISADORES A ESTAR REALIZANDO TRABALHO DE CAMPO DE PESQUISA CANGACEIRA...E, A RESPOSTA ESTÁ AI...

É FRENÉTICA E INCANSÁVEL ESSA DISPOSIÇÃO DO JOÃO, QUE NOS ÚLTIMOS ANOS, NOS BRINDOU COM GRANDE MATÉRIAS E DESCOBERTAS...
VALUE JOÃO, SIGA EM FRENTE...SEU TRABALHO ESTÁ SENDO RECONHECIDO POR TODOS AQUELES QUE ESTUDAM A SAGA DO CANGAÇO E DE SEUS PERSONAGENS..

ABRAÇO
IVANILDO ALVES SILVEIRA
Colecionador do cangaço
Membro do CARIRI-CANGAÇO E DA SBEC
NATAL/RN

Verluce Ferraz disse...

Caro pesquisador: Eu li a matéria e o que mais me chamou atenção foi onde está a fala de um papagaio - "Os cangaceiros tiraram madeiras do curral e tocaram fogo na casa, quando o fogo começou a tomar os compartimentos da residência um papagaio começou a gritar: Olhe o fogo Maria. Maria, Maria, olhe o fogo. Lampião mandou um cangaceiro entrar na casa, atravessar o fogo e salvar o papagaio. O curral foi todo queimado e os animais mortos.". Na verdade o papagaio era excepcional, não só por falar que isso é comum, mas pelo raciocínio da ave - além do que foi um verdadeiro anjo de guarda ara o cangaceiro.