quarta-feira, 2 de maio de 2012

Inclusão

Marcos Passos imortaliza obras do cangaço em Braille

por João de Sousa Lima

Marcos Passos e sua equipe da AMAC - Associação Macaense de Apoio aos cegos, deixam para a posteridade mais uma obra do cangaço em Braille. "Moreno e Durvinha, sangue, amor e fuga no cangaço" é o segundo livro do gênero impresso pela AMAC. O primeiro foi "A trajetória guerreira de Maria Bonita" reveja a matéria Clique aqui

Quem é este vaqueiro fluminense?



O que é a AMAC?




Em setembro de 2011 Marcos Passos e seu filho Felipe "Gitirana" Marques estiveram conhecendo em Paulo Afonso, a região onde os cangaceiros passaram por diversas vezes. E estiveram também participando do 3º Cariri Cangaço, evento realizando nas cidades cearenses de Crato, Juazeiro do Norte, Barbalha, Missão Velha, Aurora e Barro.

Me dignifica muito ter minhas obras como parcela concreta de acesso a leitura especial e como parte de inclusão social e fico muito honrado em ter Marcos e Felipe como amigos.


O livro foi impresso e encadernado de forma simples.
É o primeiro passo do Marcos, uma grande editora bem que poderia investir na ideia.


As obras estão a disposição para os leitores especiais que tiverem interesse em conhecer mais um capitulo histórico do Brasil. Se você deseja ter um exemplar entre em contato com a AMAC:



Pesquei no Açude do primo João

O blog Lampião Aceso aplaude e agradece o gesto do nosso vaqueiro fluminense Marcos Passos, e que venham outros títulos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Amigo Kiko,

Só para relembrar, Durvinha e Moreno não é a primeira obra do cangaçao a ser transcrita para o Braille. A primeira obra foi A trajetória guerreira de Maria Bonita - A rainha do Cangaço. Foi noticiado lá no blog de João no dia 19 de setembro de 2011.
No mais, grande abraço e obrigado pelas gentis palavras para com esse ceguinho porreta que é o meu "paipai".
Felipe "Gitirana"

Aderbal disse...

Grande João e grande dupla Marcos e seu estimado pai.Mais um gol de placa.
Parabens e valeu.
Aderbal Nogueira