domingo, 4 de março de 2012

Recado do mestre Alcino

Obrigado, II Arena de Arte e Cultura da Rota do Sertão

Nos dias 08 e 12 deste mês de fevereiro de 2012 eu fui agraciado através de uma emocionante homenagem que carinhosamente recebi dos responsáveis pelo importantíssimo movimento cultural intitulado ARENA de Arte, Cultura e Turismo, em sua segunda edição.


Cartaz do evento

Sediada na pujante Nossa Senhora da Glória, a bela capital do Sertão do São Francisco, e a participação efetiva e afetiva dos municípios que compõem a ROTA DO SERTÃO: Ribeirópolis, São Miguel do Aleixo, Monte Alegre de Sergipe, Poço Redondo e Canindé de São Francisco, a II ARENA deu-me o prazer, a felicidade e a honra de ser o homenageado em tão grandioso evento.

Em sua primeira edição a ARENA homenageou o célebre artesão Véio, esse notável sertanejo que fez de sua sublime arte uma história de competência e motivo de orgulho não só de sua amada N. S. da Glória, mas de todo sertão e do próprio Sergipe.


Este é o célebre Véio
Pescado in Sou de Glória

Essa vitória não foi só minha e de Véio. Nós fomos os escolhidos para recebermos tão comovente cortesia porque temos a felicidade e o privilégio de sermos filhos de uma região venturosa e repleta de lindas e comoventes histórias. Pedaço de Sergipe recheado de pessoas que nasceram com a arte e a cultura entranhadas em seu sangue e em seu espírito.

Eu e Véio trilhamos toda a nossa existência amando, pesquisando e criando para o Brasil e para o mundo a nossa arte, a arte do povo sertanejo, a arte do povo do Sertão do São Francisco. Portanto, nos sentimos orgulhosos e maravilhados por termos sido os escolhidos para sermos os homenageados durante os dois primeiros eventos da Rota do Sertão.

Senhores criadores e patrocinadores desse extraordinário acontecimento, tendo a frente à senhora prefeita de Nossa Senhora da Glória, Luana Michelle, obrigado pela vontade e inspiração em buscar acima de tudo o resgate de nossa cultura, do viver e do fazer de nossa passada gente. Felizes somos nós por procurar pesquisar e registrar os grandes feitos históricos e culturais de nossa terra, de nosso chão caboclo. Historiografia que está sendo vilipendiada pelos novos tempos da modernidade, mas que, graças à boa vontade e inspiração de Luana e seus colegas de outros municípios, Sergipe e o povo sentiram na alma a grandeza de mossa cultura e de nossas tradições.

O povo viu feliz e emocionado o valor grandioso de nossa história. A história de um povo sofrido, mas pleno de fé, vitalidade e vigor. Todos os municípios se apresentaram através de seus artistas e defensores de nosso folclore com dignidade, competência e muito carinho. Lá estavam às autoridades municipais, orgulhosas em razão do êxito total do evento e o desempenho impressionante de seus grupos artísticos que brilharam intensamente com a beleza do reisado, do xaxado e do grupo de teatros, além dos cantores que inebriaram os que participaram da grandiosa festa.

Capitaneada pelo prezado, competente e querido amigo Roberinho, a equipe organizadora ultrapassou todas as expectativas. Foi zelosa com seu inigualável tratamento para com todos que visitavam o local onde a II ARENA estava localizada.

Que a II ARENA cultural da Rota do Sertão e outros eventos culturais espalhados pelas cidades e municípios de nosso Estado não caia em segundo plano e entre em decadência.
Valorizar a cultura é valorizar os nossos costumes, as nossas origens e as nossas tradições. A história sertaneja é bela e comovente. Ela não pode e nem deve morrer. Tem é que ser cultuada e levada até a nossa juventude que cada vez mais se afasta de suas origens e ignora totalmente o viver dos pioneiros de um sertão que eles também são filhos.

Que as possíveis mudanças políticas que poderão acontecer nas futuras administrações que se iniciarão no próximo ano não sejam um entrave a esses movimentos culturais que procuram resgatar os valores artísticos da história do povo sertanejo, e porque não dizer, de Sergipe.

Eu e Véio fomos os homenageados nestas duas edições. Com fé em Deus outras edições chegarão e assim vai ser possível Sergipe conhecer outros artistas e pesquisadores das coisas de nosso mundo caboclo, fazendo com que homens e mulheres de altíssima competência se tornem conhecidos em nosso Sergipe, e porque não dizer, no Nordeste e no Brasil.

Publicado na edição de 1º de março de 2012, no JORNAL DA CIDADE, Aracaju – Sergipe.


Saudações,
Alcino Alves Costa
O Caipira de Poço Redondo - SE

Um comentário:

Julio Cesar disse...

Alcino, meu querido amigo

Essa homenagem é justa, tanto para cultura da região e do nosso país, como para voce, que tanto faz para que a história desse rincão, tão lindo, seja preservada e transmitida para as gerações futuras.

Parabéns meu amigo. É um orgulho muito grande fazer parte da sua vida.

Grande abraço

Julio Cesar