terça-feira, 19 de abril de 2011

Nely nas ondas do Rádio 

Por Clenaldo Santos*

Pra inicio de conversa eu gostaria que a minha convidada e seus amigos soubessem que o dia 29 de março de 2011 ficou marcado na história do rádio Sergipano. Quase um mês após a participação desta querida personalidade os ouvintes ainda comentam e agradecem pela emoção.

Eu vou contar do começo solidificando o apreço!

Nely Conceição e o autor.

Recebi um telefonema do amigo Kiko Monteiro que nos informava que estava desembarcando em Aracaju, ninguém mais ninguém menos do que Nely Maria da Conceição, ate aí tudo bem, mas o curioso é que se tratava de uma filha dos ex Cangaceiros Moreno e Durvinha. Os mesmos marcaram a sua história e suas vidas num dos bandos do grande e célebre Virgulino Ferreira, Lampião.

A nossa "Lili" chegou a Aracaju às 13 horas. Neste mesmo instante já mantive contato com a mesma e a convidei para uma entrevista na Radio Aperipê AM 630 a qual temos o Programa "Linha Sertaneja" dedicado ao homem do campo e que tem como apresentadores Tuca "o caboclo do visgueiro" e eu, vulgo "sertanejo na cidade grande".

Surpresa agradável, não podia ser melhor, quando cheguei a emissora para minha alegria e emoção já estava à nossa linda Cangaceira mineira acompanhada do amigo Josué pesquisador do Rio de Janeiro. Levei os dois  imediatamente ao estúdio.

O companheiro Tuca fez a abertura com uma síntese sobre o cangaço e eu comecei com a entrevista onde o assunto principal foi o segredo que seus pais guardaram por tantos anos.

Ela vestida a rigor, à moda sertaneja, bem humorada, parecia que nos conhecíamos a muito tempo, a mesma ficou muito a vontade e nos desembestamos em perguntas e respectivas respostas.

A filha dos cangaceiros se emocionou bastante, tive que conter as minhas lágrimas para prosseguir o programa e este foi o momento mais marcante deste inesquecível encontro pois contagiou os fiéis e atentos ouvintes.

Ao final da entrevista partimos para a sessão descontração que foram as fotos, entre abraços e novas lágrimas nos despedimos. O programa por sua vez alcançou uma audiência total.
 
  O radialista Tuca, Neli, na retaguarda Josué e Clenaldo.

Agradeço a Mario Sérgio nosso Diretor pelo carinho que tratou a convidada inclusive disponibilizando o transporte para o seu retorno ao hotel no qual estavam hospedados.

Agradeço também ao jovem "vaqueiro da história" Kiko Monteiro por nos proporcionar mais esta homenagem. Aos escritores João de Sousa Lima, Alcino Alves de Poço Redondo e a todos que fazem parte deste contexto.

E ao meu amigo João César pela cortesia de digitar este artigo o qual o presenteie com o livro “Moreno e Durvinha” Sangue - Amor e fuga no cangaço do escritor João de Sousa.  

Nely, Nely! Onde você estiver que Deus te cubra de bençãos e a todos os seguidores do Lampião Aceso
uma Feliz Páscoa.



*Clenaldo dos Santos é baiano de Cícero Dantas, ex cabra da Chesf. Construtor de Xingó e atualmente cidadão da capital Sergipana. Morando em Piranhas em constante ponte aérea para Poço Redondo conviveu com alguns remanescentes do cangaço "lampiônico". À exemplo de: Adília, Durval Rodrigues Rosa, Mané Félix (Que ia duas vezes por semana em sua casa sempre a tarde comer biscoito com refresco). O outro "Félix" Adalto... entre outros.

Nenhum comentário: