segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Enigma de João de Sousa Lima

Será ele um cangaceiro? Volante? Ou simplesmente um quadrilheiro! 

Estava eu na paz do meu lar. Eis que me aparece tio Luiz Batista, portanto na mão esta fotografia e fazendo um breve comentário:

- Você que estuda o fenômeno cangaço, tome aqui uma foto de Lampião!


Observando a fotografia fiz uma rápida análise e respondi:
-Não é Lampião!
- Mais como não?
- Lampião é diferente do senhor aí da foto.
- Porque você diz isso?

Fiz uma pausa e diante de uma breve visualizada respondi:
- Ele usando um punhal maior que o normal e em uma posição diferente de todas as outras observada nas fotografias existentes. A calça é mais comprida que as que os cangaceiros usavam; ele não porta nenhum anel ou aliança, prática também comum entre os cangaceiros; Pelo pano no fundo da fotografia ela foi realizada em um laboratório, diferente das fotografias onde vemos a caatinga como parte do mundo do cangaceiro; a alpercata tem a frente muito aberta, deixando a mostra os dedos do fotografado e é fácil observar nas fotografias dos cangaceiros um tipo de alpercata mais fechada, dando mais proteção aos pés para evitar espinhos e ataques de animais peçonhentos!
Luiz Batista, meu tio materno, balançou a cabeça negativamente, sem esboçar palavras, saiu da sala, olhou-me mais uma vez e sentenciou:
 - Talvez você tenha razão!

Quem será esse cangaceiro? 
alguém ai pode concordar e contribuir com mais informações? 

Eu fico com minha análise, porém o tio Luiz Batista se sentiria feliz em poder tornar minha análise fadada ao esquecimento. Mesmo assim a fotografia foi arquivada em meu acervo e o tio Luiz vez ou outra aparece para conversarmos e falarmos de sua longa trajetória de uma vida simples e digna, beirando os 80 anos de idade, dos quais 62 dedicados a arte de ensinar jovens no caminho da educação e da sabedoria.

Pesquei no Açude do primo João

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O blog arrisca um palpite!

Lampião? nem de longe!
Convenhamos que a estética do cabra acima está bem convincente (com exceção do comprimento da calça). Notamos a aparente originalidade de outros acessórios como: Os ilhoses na alça do rifle ou fuzil, o punhal, embornais e demais bordados.  Acredito que seja um contemporaneo, quem sabe um parente de soldado ou protetor dos meninos? Que posou com traje emprestado por um deles.  O local pode ser um estúdio mas pode ser o recinto de uma residência. Ou simplesmente um caprichoso membro de um grupo folclórico?

5 comentários:

IVANILDO ALVES DA SILVEIRA disse...

AMIGOS KIKO E JOÃO DE SOUSA LIMA:

ESSA FOTO QUE FOI POSTADA NO BLOG, NÃO SE TRATA DE CANGACEIRO, NA ESSENCIA DA PALAVRA.

É UMA "REPRESENTAÇÃO DE UM GUERREIRO CANGACEIRO NO NORDESTE".
APESAR DA MESMA TER FICADO BEM FEITA, OS DOIS AMIGOS (KIKO E JOÃO), COM MUITA PROPRIEDADE E CONHECIMENTO, MATARAM LOGO DE CARA A QUESTÃO, AO ANALISAREM A INDUMENTÁRIA DO SUPOSTO PERSONAGEM.

ESSA FOTO ESTÁ INSERIDA NA Pg.103, do livro "MESSIANISMO E VIOLÊNCIA DE MASSA NO BRASIL", do autor SOUSA BARROS.

Um abraço a todos e parabéns pelas observações.

IVANILDO A. SILVEIRA
Colecionador do cangaço
Natal/RN

Anônimo disse...

Eu digo que é Luiz Gonzaga antes de servir ao Exército Brasileiro. Só estou em dúvida, porque a sanfona não aparece na foto.

C Eduardo.

Kiko Monteiro disse...

Ivanildo já passou o facão na charada do primo João. O cangaceiro Carioca postou depois do reverendo porém a aceitação de ambas respostas foi feita ao mesmo tempo, ou seja, nenhum comentário havia sido publicado antes.
Obrigado pela atenção de ambos os confrades.

Sanbahia disse...

Como boa sertanista, digo: Num é Virgulino é um imitador das maneira e vestes do mito do sertão.
Um abraço procês.

José Mendes Pereira disse...

O doutor Ivanildo já explicou. Mas ela estava na cara. Cangaceiro não fazia fotos com uma das pernas esticada para frente, isto é, sem postura.

José Mendes Pereira - Mossoró-RN.