domingo, 31 de outubro de 2010

Manchetes históricas

A morte do matador de "Lampião" 

Lampião e mais 10 cangaceiros foram assassinados no dia 28 de julho de 1938, na grota do Angico/SE. Participaram do evento as volantes comandadas pelo ten. João Bezerra, pelo aspirante Ferreira de Melo e pelo sgtº Aniceto.

Com relação ao soldado, que deu o primeiro tiro mortal no rei do cangaço, a maioria dos pesquisadores do tema, é uníssona no sentido de que foi o soldado Antonio Honorato (Foto), o autor do disparo, mas há quem pense de modo contrário.

O famoso jornalista “Melchiades da Rocha”, em sua brilhante obra " bandoleiros das caatingas " , narra em detalhes, todos os aspectos da morte de Lampião, inclusive salienta as entrevistas que fez com o soldado Honorato e demais membros das volantes, na época do famoso evento.

A revista Edição Extra, ano I, nº 13 de 09/09/1962, traz o seguinte título:
“Assassinado o matador de Lampeão”, e, como subtítulo " Quem com ferro fere, com ferro será ferido " , valeu para o terceiro sargento aposentado da volante".

 Aos 56 anos de idade residindo na capital Alagoana o veternao da PM foi assassinado pelo sobrinho de sua esposa, um jovem de 18 anos.

Vejamos, logo abaixo, as fotos e o texto dessa importante matéria. Clique para ampliar

 Lampião e o sgtº Honorato.



 Honorato e jornalista Melchiades da Rocha,
examinando o fuzil que abateu Lampião.



 Clique para ampliar

Obs.:
A maioria dos pesquisadores/escritores do cangaço discorda que o soldado Honorato tenha ferido "Maria Bonita". Tal fato é "mais" atribuído ao soldado “Panta de Godoy”.


Créditos: Ivanildo Alves Silveira

Um comentário:

José Mendes Pereira disse...

Dr. Ivanildo Alves da Silveira:
Não sei se estou certo ou errado, mas é quase certo que tanto o soldado Honorato quanto o Panta de Godoy, ambos mentiram quando afirmaram que foram os autores da morte de Maria Bonita e Lampião. No meio de um cerrado tiroteio, cada um está preocupado com a sua vida, isto é, com medo de ser atingido por balas dos seus adversários. É claro que o bando de Lampião não teve tempo de reagir, mas nenhum deles tinha esta certeza que o combate seria vantajoso para eles. Se os dois policiais estavam com as metralhadoras em mãos, é claro que tiveram mais chances de assassiná-los. Mas tendo certeza que foram eles, é uma grande piada. O caso do cangaceiro Luis Pedro, é mais outra história fantasiada pelo Mané Veio. Eu acredito que ele já encontrou o cangaceiro morto, e se apoderou de suas riquezas.
José Mendes Pereira – Mossoró - RN.