sábado, 18 de setembro de 2010

Prazer em conhecer:

Lampião Aceso entrevista o pesquisador e escritor João de Sousa Lima 

Como se dá a entrada de João no Cangaço?

Um dia, lá entre 1985 ou 86 João conversava com professor e amigo Edson Barreto, que lecionava na Zona Rural de Paulo Afonso/BA, Edson fez um comentário que interessaria a muitos de nós: Disse ele que ainda tinha muita gente do cangaço viva tanto na na cidade quanto nos arredores!!! A conversa se estendeu, vários relatos e ainda assim "João teimoso" finalizou dizendo que para ele a possibilidade era pouco provável. Teimosia essa da qual ele se arrepende... - Se tivesse atentado ao fato e começado nessa época muita coisa teria sido aproveitada.

Mas... tudo em seu tempo!

Na realidade começou as pesquisas somente em 1995 através de um convite de uma amiga, Glória Lira, então coordenadora de cultura da cidade. Glória estava montando uma equipe para pesquisar sobre o cangaço, pesquisa essa que serviria para aproveitamento dos alunos que buscavam informações na biblioteca pública e nada encontravam referente ao tema.

O grupo fez várias investidas, a partir daí travei contato com velhos sertanejos, coiteiros, cangaceiros, volantes, pessoas que eu achava não mais existirem. O grupo de pesquisa se desfez pouco tempo depois e João... Nunca mais conseguiu parar.

João é mais um discípulo do mestre Antônio Amaury.
Hoje, João de Sousa também é uma referencia principalmente na mídia. Diversas reportagens para diversos canais já foram realizadas sob auxilio deste filho de São José do Egito/PE. Por competência, experiência e por conhecer toda região. Este aparente "menino buchudo" é capaz de palmilhar toda a aridez do Raso da Catarina. É membro da SBEC - Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço.

Sendo o principal responsável pela reconstrução da casa de Maria Bonita no povoado Malhada Caiçara ali também em Paulo Afonso. Criou o projeto e desde 2008 a velha casa dos Gomes é um memorial que recebe turistas de todo o mundo.

Museu casa de Maria Bonita.
Considero que "João das meninas" é o novo arqueólogo do Cangaço. Mesmo uma década depois do conselho do amigo Edson, olhos e ouvidos atentos descobriram o paradeiro de diversos ex cangaceiros, cangaceiras, coiteiros e Volantes, vítimas de ambos os lados, além de "parentes" que deixaram o mundo do cangaço de orelha em pé! Celebridades anônimas que os  antigos pesquisadores não conheceram e alguns que muitos julgaram já terem desaparecido. O próprio João se encarrega de nos contar.

Visitando João um dia destes fiquei maravilhado com seu acervo de relíquias do cangaço peça que alguns colecionadores ofereceriam pequenas fortunas João conquistou por méritos de honestidade, perseverança e simpatia instatânea. À propósito já é quase certo o futuro Museu na sede do município que vai abrigar todas estas peças.


Vamos lá apresente suas crias!
- Em 2003 nosso 1º livro: Lampião em Paulo Afonso; O 2º em 2005: A trajetória Guerreira de Maria Bonita, a Rainha do Cangaço, 3º: Restauração da Casa de Maria Bonita (Cartilha fotográfica), 4º 2007: Moreno e Durvinha, Sangue, amor e fuga no cangaço, 5º em 2010: Maria Bonita, diferentes contextos que envolvem a vida da Rainha do Cangaço e mais três trabalhos como co-autor estes não tratam especificamente de cangaço: Ecologias de Homens e Mulheres do Semi-árido, em 2005, Editora Fonte Viva e UNEB universidade estadual da Bahia - campus VIII, Ecologias do São Francisco, 2006 e As Caatingas: Debates Sobre a Ecorregião do Raso da Catarina, 2007. Foram três produções coordenadas pelo Dr. Juracy Marques, Diretor do Campus VIII, UNEB. 

  



Filho preferido?
- Difícil definir, mas se é pra citar o esforço que valeu a pena elejo “Lampião em Paulo Afonso”. Só pra se ter uma ideia eu rodei 12mil km. Montado em uma motocicleta CG 125, se algum dia tiverem que produzir o 2º filme: “Diários de Motocicleta ” eu vou me candidatar. 

De outro autor?
- Dadá, de José Humberto Dias.

Qual é o primeiro título recomendado para um calouro?
- Lampião as mulheres e o cangaço de Antônio Amaury.

Com quantos personagens desta história você teve contato?
- Tive a oportunidade de estar com 12 cangaceiros, em torno de 20 ex membros das volantes e entre pessoas ligadas como: testemunhas, coiteiros etc creio que quase 200 pessoas que colaboraram com meus livros. Gostaria de citar todos mas não lembraria de cabeça não quero deixar ninguém de fora, não foram somente objetos de pesquisa, criamos laços de amizade.

Qual destes contatos foi, ou foram, os mais difíceis?
- O “Pretão”. Conheci ele como um irmão de Maria Bonita, mas a pesquisa indicava uma ligação maior, ??? Ele seria filho da Rainha com o Rei do Cangaço! Muitos dos seus leitores acompanharam o caso pela imprensa. O que alguns talvez ainda não saibam é que esse “mistério” foi levado aos tribunais. Os depoimentos estão todos gravados e guardados para futuras comprovações. Os fatos foram levantados, porém só através de exames e laudos médicos teremos uma certeza. 
Nós apenas levantamos esta hipótese, daí celeumas foram criadas sem necessidade, alguém criou e não foi João. Pois então que assumam o problema.

A família do "Pretão" no decorrer deste processo se fechou, evitou qualquer especulação?
O final da história é que "Pretão" faleceu em Setembro de 2009. O resultado ainda permanece sob sigilo da justiça e independente de qualquer resultado, minha vida continuará a mesma, eu não vivo inventando herdeiros para Lampião, os relatos existem e estes chegaram ao nosso conhecimento por coincidência na mesma região em que vivo...

Lembrando outro contato difícil outra parada dura só que com um final feliz foi com Alzira a filha
de Catarina e "Nevoeiro" um casal de cangaceiros que a deixaram no Raso da Catarina. Alzira era uma mulher bruta por natureza, coração quase de pedra. Mas com jeito eu consegui a aproximação necessária; Tínhamos alguma coisa em comum, o tempo guardou um mistério entre nós dois, valeu por apenas conhecê-la, ela tem uma história muito bonita.

Sra. Alzira. filha do casal Catarina e Nevoeiro
Qual o contato que não foi possível e lhe deixou de certo modo frustrado?
- Cangaceiro Bem-te-vi aquele que causou a tragédia de Lídia, a mais bela das cangaceiras, assassinada por seu companheiro o Zé Baiano. Bem te vi delatou a traição de Lídia ao seu companheiro. Soube que ele com 101 anos residia numa roça próxima a Paulo Afonso, fui atrás da história, mas a família não permitiu que ele conversasse comigo. 

Com quem gostaria de ter conversado?
- Maria de Juriti. Foi outra que frustrou minhas expectativas eu estava em companhia do amigo cineasta Wolney Oliveira e quando tocamos na palavra “Cangaço” a mulher ficou bastante inquieta, nervosa, disse que poderia enfartar se a gente insistisse com perguntas sobre este assunto. E assim nós desistimos. Maria de Juriti faleceu no dia 03 de Abril de 2009.

Qual é o seu capitulo preferido?
- Ah! Moreno e Durvinha. (Moreno faleceu uma semana após esta entrevista)

Um cangaceiro (a)?
- Minha inesquecível amiga Durvinha.

3 Irmãos; João Souto, João e Nely filhos de Moreno e Durvinha
Um volante?
- Teófilo Pires do Nascimento.

Um coadjuvante?
- A cangaceira Aristéia.

Aristéia ainda está viva reside em Delmiro Gouveia/AL
Uma personagem secundária? Queria ter bom papel, mas não passou de figurante
- Não quero desmerecer ninguém, de cada vírgula que me disseram eu sempre depurei tudo que foi necessário, por exemplo, as pessoas acham que Durval não foi aquilo que se gabava. Eu estive com Durval e pra mim ele disse categoricamente que nunca foi coiteiro de Lampião, ele esteve no coito, vendeu uma carne, fez a entrega de munição e no fatídico 28 de julho de 1938 foi forçado pela policia ir junto com seu irmão Pedro até o cenário do flagelo, mas não na condição de coiteiro.

Geralmente todo pesquisador é colecionador qual é o foco de sua coleção?
- Tenho diversas armas entre punhais, mosquetões, Uma Pistola Luger “Parabelum”. Fui agraciado com objetos e peças que pertenceram a ex cangaceira Durvinha como: vestidos, jóias, fotos e documentos. Mas meu xodó tem sido as fotografias primo, tenho corrido léguas atrás de uma única foto.

Entre as peças tem alguma relíquia? 
- Um punhal que foi de Maria Bonita e o mosquetão que pertenceu ao cangaceiro Calais. Esta peça me foi doada pelo soldado que o matou e que era primo dele, O Sr. Teófilo Pires. Teófilo após abatê-lo recolheu a arma e guardou por todos estes anos. Já estamos providenciando a documentação junto ao exército brasileiro para o registro necessário desta arma.

Nós que gostaríamos de ver um filme que retratasse um cangaço autêntico, fiel aos fatos, sem licença poética, erro primário enfim sem exagero da ficção lamentamos a eterna necessidade de se ter finalmente uma produção digna da saga, de preferência um épico ou uma trilogia, enquanto isto não foi possível qual a película mais lhe agradou?
- Baile perfumado, apesar de duas ou três falhas de informações foi um filme bem feito fiel ao que o autor se propôs retratando este episódio na vida do Benjamim Abraão. Modéstia a parte quero avisar aos confrades que o filme "Gato, um rastro de ódio e sangue", está em fase de conclusão. Apesar de não ter tido um orçamento milionário será um filme surpreendente, fiel aos fatos, rodado em cenários originais e tenho convicção que vai agradar os amantes do tema... Ele tem lançamento previsto para antes de Dezembro.

João durante as gravações.

Eleja a pérola mais absurda que já leu sobre Lampião?
- Aquele persistente causo do coiteiro que teve os testículos presos numa gaveta e puseram a chave dentro ameaçando que ele tinha que escapar dali em determinado espaço de tempo senão morreria... E o absurdo de que havia um campo de futsal em pleno Raso da Catarina: os cangaceiros formavam um time em que Lampião era zagueiro. Sobre esta segunda tolice eu afirmo que o pesquisador deve ter visto uma pista de pouso construída pela Petrobras na década de 60 encoberta pelo mato deduziu que se tratava de um campo. Bom, realmente era um campo, só que de pouso, a empresa não encontrou petróleo, encontrou gás e os poços foram lacrados para futuras necessidades.

Encasquetou que futsal tinha que ser lazer de Lampião e seus meninos? Basta pesquisar para saber que (uma versão) a Origem do futsal tem duas versões sobre o seu surgimento. O Futebol de Salão começou a ser jogado no Brasil por volta de 1940 por frequentadores da Associação Cristã de Moços, em São Paulo, pois havia uma grande dificuldade em encontrar campos de futebol livres... Ou Lampião teria criado a modalidade na década de 30?... (Risos)
- Grandes absurdos, matérias irresponsáveis de quem não tem compromisso e nem respeito com quem busca conhecer um pouco da nossa história.

Diante de tantas polêmicas surgidas posteriormente a tragédia em Angico alguma chegou a fazer sentido, levando-o a dar atenção especial ex.: “Ezequiel não morreu e reaparece anos mais tarde”, “João Peitudo, filho de Lampião”, “O Lampião de Buritis” e “a paternidade de Ananias”?
- Realmente surgiram e ainda há de surgir bastante “novidade” tanto anteriores quanto posteriores a Angicos. Uma delas não citada na pergunta que eu quero acrescentar é do Panta de Godoy “o cabo Panta” ter sustentado até o fim da vida que foi ele o assassino de Maria Bonita. Muitos colegas de farda o desmentiram e ainda desmentem. 

Ezequiel? Morreu em Paulo Afonso! O caboclo que construiu a Lagoa do mel foi o mesmo que o enterrou, viveu o resto da vida lá no povoado Baixa do Boi, faleceu semanas atrás com 106 anos. Ele me contou inclusive que foi forçado pela policia a revelar o local, desenterrar o cabra e que a cabeça depois de decepada foi levada para o destino que seu irmão iria mais tarde, Salvador.
E durante pesquisa descobri a existência da foto desta cabeça na capital baiana.

O Lampião de Buritis? É outra farsa e o autor quem diria... saibam vocês que tentou até persuadir o cangaceiro Moreno a afirmar que aquela estória era verídica, claro que o Moreno não concordou. Temos que ter consciência e saber desmentir esses... Desculpem o desabafo esses canalhas, oportunistas irresponsáveis que brotam aos montes e ainda ganham atenção da mídia do sudeste. Querem um leque de absurdos? Leiam, ou nem passem por perto, do livro “Lampião, O Mito” do senhor R. T. e vejam o que é um escritor saber inventar e propagar a desinformação.

Sobre o “Dossiê Ananias” nós já nos adiantamos e explanamos sobre o mesmo em pergunta anterior.


E para João: Lampião morreu baleado ou envenenado?
- Morto a tiros, na Grota do Angico!

Não precisa detalhar, mas em que assunto ou personagem está trabalhando ou qual gostaria de estudar para a publicação desta pesquisa. Enfim qual a próxima novidade que teremos em nossas estantes?
- Junto com o Dr. Juracy Marques, reitor da UNEB, estamos escrevendo sobre “Índios e cangaceiros”. Uma relação que renderá muitos capítulos interessantes. Nossa fonte principal tem sido as tribos circunvizinhas a Paulo Afonso como os Pankararé, os Pankararus, de Tacaratu/PE, Tuxás, de Rodelas/BA. Tuxás foram os índios que auxiliaram Lampião em sua travessia de Pernambuco para a Bahia. Estou ansioso para finalizar esta obra e em breve vocês vão conferir o resultado.

No tocante a eventos aproveito para convidar a todos desde já pára o 3º Seminário Centenário de Maria Bonita a ser realizado nos primeiros dias de Março de 2011 no campus da UNEB na terra do condor. 

Dos 4 livros que ilustram a entrevista somente Lampião em Paulo Afonso tem sua edição esgotada. Os demais podem ser adquiridos com o autor através do email: joaoarquivo44@bol.com.br
ou (75) 8807-4138. Açude do João www.joaodesousalima.blogspot.com


Os primos.

12 comentários:

Anônimo disse...

Meu amigo João de Souza Lima. Parabéns! Você é um pesquisador completo. Irrequieto, polivalente, verdadeiro, amigo, e que inovador. No cangaço pós-travessia-do-chico você é quem mais acrescentou ao tema com suas pesquisas bem fundamentadas. Aplaudo você de pé. E você, caro Kiko, parabéns pela entrevista. Ótima: Sem floreios, interessante, sem maquiagens. De primeira, mesmo.
Abraços
Leandro C. Fernandes

Julio Cesar disse...

Amigo João... a cada dia que passa minha admiração por voce aumenta.
Parabéns por essa entrevista, pelas respostas objetivas, diretas e esclarecedoras.
Grande abraço
Julio Cesar Ischiara

Juliana Ischiara disse...

Amigo Kiko,

Parabéns pela excelente postagem e entrevista com o grande escritor e pesquisador João de Sousa, gosto muito do trabalho dele, aliás, ele é a melhor referencia para quem quer saber mais sobre a rainha do cangaço. O livro, “A trajetória guerreira de Maria Bonita: a rainha do cangaço” está entre os melhores livros sobre o cangaço que já li, recomendo a quem ainda não leu, como também os demais livros do autor.

João tem o dom da escrita,pois, nem todo bom pesquisador consegue transmitir de forma clara e objetiva o resultado de suas pesquisas. Claro, escrever não é uma tarefa das mais fáceis. Exige, além de habilidade, o dom de cativar o leitor em uma leitura prazerosa e, além disso, um trabalho científico não precisa necessariamente ser enfadonho e chato por ser técnico em demasia.

O autor em questão, escreve de forma séria e racional, porém, não se descuida em dar uma pitada de emoção e poesia ao texto, tornando-o extremante agradável e gostoso de se ler. Não é por acaso que João tornou-se um respeitável pesquisador, pois, sua simplicidade e humildade o tornam cada vez maior e melhor e, como dizem os grandes mestres da filosofia oriental, é necessário parecer menor para ser reconhecido como maior. João sabe dosar sua genialidade poética e seu dom literário.

No mais, parabenizo, bato palmas e reverencio este grande poeta escrevinhador de Paulo Afonso, continue assim mestre João, sem perder seu foco e seriedade, sem se iludir ou buscar apenas os holofotes, está no caminho certo, buscando a veracidade dos fatos, com honestidade e garra.

Como diz meu amigo Kiko Monteiro, abraçando!

Juliana Ischiara
Historiadora e membro da SBEC

Lusa Vilar disse...

Parabéns, primo, os depoimentos que aqui li sobre o escritor,João de Souza Lima, deixam-me orgulhosa do seu sucesso.
"Não é por acaso que João tornou-se um respeitável pesquisador, pois, sua simplicidade e humildade o tornam cada vez maior e melhor e, como dizem os grandes mestres da filosofia oriental, é necessário parecer menor para ser reconhecido como maior. João sabe dosar sua genialidade poética e seu dom literário."
Feliz por saber que seu esforço tem recohecimento. Em frente, João, daqui acompanho com alegria as suas conquistas.
Um grande abraço!

IVANILDO SILVEIRA disse...

AMIGOS KIKO E JOÃO DE SOUSA :

Parabenizo-os pela excelente entrevista, a qual mostra detalhes interessantes da vida desse grande pesquisador batalhador, que percorreu 12 mil kms em uma moto para efetuar uma pesquisa sobre o cangaço, com recursos próprios.

Parabéns amigo JOÃO. Continue assim, simples, humilde e produzindo obras, que já estão na memória dos estudioso e ocupando o espaço necessário na bibliografia cangaceira nacional.

Eita cabra danado (rsrrsrsrsrsrs)!

Um forte abraço
IVANILDO SILVEIRA
Colecionador do cangaço
Natal/RN

Anônimo disse...

Ah! Esse João, falando do cangaço, que sai feito tatu, se embrenhando por tudo que é canto onde o assunto aparece, esse eu conheço!
Parabéns a Kiko, pela entrevista, mas se apertasse o cabra ia sair ainda mais coisas...
Em breve João também vai estar na TV Mandacaru, numa outra entrevista que vai também mostrar um pedacinho, uma amostra desse filme sobre o cangaceiro Gato...
É pra já!
Ah! Outra coisa! Ele falou que vai lançar esse filme até Dezembro mas, é bom provável que o seu lançamento seja mesmo no Seminário do Centenário de Maria Bonita, em Março, aqui em Paulo Afonso... é o que esperamos...
Grande abraço, gente!

Antônio Galdino
jornal Folha Sertaneja e TV Mandacaru

Rubervânio Rubinho Lima disse...

Meu tutor João é um entusiasta dessas coisas. Tem me motivado, com sua escrita e com suas ideias.

Espero um dia chegar pertinho de sua inteligência e perseverança.

Parabéns, meu amigo João e Parabéns, Kiko, pelo grande teor de conhecimento postado..

Fernande de Jeremoabo disse...

Sou suspeito para falar das qualidades de "João de Maria" como escritor e pesquizador do tema Cangaço, pois somos parceiros de visita/ ao local onde morreu Zé Baiano e seu bando( Alagadiço - SE),intrevista com Inacio , Julio e Elizeu Lobato(volantes) mun. de Jeremoabo-BA. Meu caro irmão "João de Maria" continue sendo o incone que é sobre as coisas do Cangaço. Forte Abraço,
A.Fernandes(Jeremoabo)

ricardo disse...

Gostei muito da entrevista, e algum tempo venho com João pesquisando e gravando em video varios depoimentos de pessoas relacionadas ao cangaço e fico cada vez mas maravilhado com o grande amigo João, um cara q conheci a pouco tempo mas parece que faz muitos anos. Parabens pela entrevista e o grande trabalha que é mostrar este grande acontecimento da epoca e que ainda deixa muita gente refletindo sobre o assunto.

Bernadete disse...

Bernadete disse:
Joãozinho meu amor, meu filho, meu irmão, a cada dia você nos suspreende com o seu emprenho, dedicação e conhecimento sobre o cangaço.Se papai e mamãe estivessem em nosso meio, estariam tão felizes com você como eu, Zezé e Nequinho somos. Parabens pelo sucesso e o Senhor Jesus continue lhe abençoando em nome de Deus. Beijos de sua irmã.

ADERBAL NOGUEIRA disse...

Olha, seu cabra, não se atreva a não me convidar para a 'avant- premier' do filme GATO. Você, meu amigo, é o verdadeiro sucessor de Alcino e Amaury. Portanto, tem uma grande responsabilidade pela frente. Parabéns e vamos em frente que atrás vem gente. Valeu!

ADERBAL NOGUEIRA

Mendes e Mendes disse...

Confrade Kiko Monteiro:
Esta entrevista que você conseguiu realizá-la com o escritor João de Sousa Lima, é além de excelente, tanto pelas suas perguntas bem elaboradas, como pelas belíssimas respostas do escritor.
Se João de Sousa Lima ficou frustrado por não ter conseguido falar com Maria de Juriti, igualmente eu, pois muito queria colocar algumas palavras dela sobre o cangaço nos meus humildes papéis. Mas como o João de Sousa Lima é persistente, não sobre ela que já faleceu, encontrará ainda um ou dois que estarão no anonimato.
Valeu Kiko Monteiro!
José Mendes Pereira – Mossoró-Rn.