segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

João de Sousa Lima, apresenta...

"Rota do Cangaço em Paulo Afonso"

1 - APRESENTAÇÃO:

Paulo Afonso, uma das mais importantes cidades do Sertão Baiano, encravada no Nordeste Brasileiro, cidade com uma riquíssima história. Acompanhando hoje uma tendência mundial do crescimento do turismo, em virtude deste cenário atual a cidade necessita urgente de roteiros que contemplem uma nova realidade histórico-cultural.

Através da pesquisa da nossa memória, com o propósito de contribuir com a preservação e levar conhecimento do nosso passado recente aos interessados e acreditando que um povo que não conhece seu passado, não sabe o que é no presente, nem tão pouco desenvolve a capacidade de escolher seu futuro.

O propósito para criação dos roteiros do cangaço é de suma importância levando em consideração que Paulo Afonso é uma das mais importantes cidades que trazem a relação forte com o cangaço, saindo daqui 47 jovens, entre homens e mulheres que adentraram os diversos grupos que seguiam o famoso cangaceiro Lampião.

Os roteiros alem de levarem conhecimento para a região, seu povo e os visitantes, elevam Paulo Afonso a um lugar de destaque no turismo Brasileiro, assim como será inserido em uma nova tendência mundial do turismo científico, histórico e cultural.

2 - OBJETIVO GERAL

O propósito deste roteiro é inserir o município de Paulo Afonso no cenário mundial, criando roteiros científicos, históricos e culturais, divulgando novos roteiros relacionados com a história do cangaço.

2.1 Objetivos Específicos

- Criar roteiros por onde Lampião e seus seguidores passaram;
- Proporcionar aos turistas, visitantes e comunidade a visitação aos lugares onde ocorreram fatos concretos da época do cangaço;
- Promover uma nova opção de turismo local;
- Proporcionar a comunidade com a criação destes novos roteiros, a geração de emprego e renda;
- Estabelecer parceiras com o poder público e privado no sentido de apoiar à criação destes novos roteiros.

3- JUSTIFICATIVA

O passado de um povo torna-se a maior fonte de disseminação de cultura e conhecimento de uma região. É dentro deste contexto que o município de Paulo Afonso apresenta fatos históricos, revelando patrimônios antigos e lugares por onde passaram personagens que tiveram ligação com o cangaço.

Portanto surge a urgente necessidade de criação destes novos roteiros turísticos culturais divulgando e mantendo viva a história e a memória de um povo que vivenciou a época remota do cangaço, levando esses conhecimentos e atraindo novos visitantes, difundindo cada vez mais a cultura local.


ROTA DO CANGAÇO I 
CASA DE MARIA BONITA

Saída: Paulo Afonso – Bahia
Lagoa do Mel
Baixa do Boi
Povoado Riacho
Serra do Umbuzeiro
Malhada da Caiçara
Casa de Maria Bonita




A casa fica situada no povoado Malhada da Caiçara, distante da sede do município 37 km As vias de acesso para a residência são: Pelo povoado Riacho km 25, que é também chamada BR 110, entrando a esquerda, por estrada de chão, 12 km em direção a Malhada da Caiçara.

No trajeto, na altura do km 18, no povoado Baixa do Boi, encontra-se o ponto conhecido como "Lagoa do Mel", local onde morreu Ezequiel Ferreira, irmão mais novo de Lampião e ainda à esquerda da Serra do Umbuzeiro, encontra-se a "Casa de Dona Generosa", sendo ela uma das maiores coiteiras de Lampião e dona de um magnífico patrimônio com 04 casas e uma capela, local onde Lampião realizava os famosos bailes.

Em frente à casa de Generosa pode-se ver ainda a "Cruz de Zé Pretinho", coiteiro assassinado pela volante policial.




Outro trajeto é pela estrada que liga Paulo Afonso à Sergipe, na altura do povoado Xingozinho, 35 km da sede do município, a direita passando pelo povoado Salobro, fazenda Canoa e Sítio do Tara, percurso de 16 Km.

O terceiro acesso a Casa de Maria Bonita é pelo povoado Barriga que fica à 36 km da sede do município de Paulo Afonso, pela BR 110, entrando a esquerda e passando pelos povoados Baixa da Areia, Lagoa Seca, chegando a Malhada da Caiçara, perfazendo um total de mais 14 km nesse trecho, estrada de chão.

Obs. O roteiro está incluso na Associação de Guias de Turismo de Paulo Afonso, denominado Roteiro VI – Serra do Umbuzeiro, ofício 002/2004.

Dica: O almoço pode ser agendado no povoado Riacho onde é servido o tradicional bode assado.

ROTA DO CANGAÇO II

POVOADO VÁRZEA

Saída de: Paulo Afonso – Bahia
Povoado Campos Novos
Povoado Nambebé
Povoado Macambira
Povoado Serrote
Lagoa do Rancho
Várzea



Saindo de Paulo Afonso passa-se no povoado Campos Novos distante, 15 km da sede e local onde nasceu morto e foi enterrado o primeiro filho de Lampião e Maria Bonita.

Mais 06 km chega-se ao povoado Nambebé onde nasceram os cangaceiros Bananeira e Medalha e foi um dos grandes coitos de Lampião, depois de mais 05 km vem o povoado Macambira onde aconteceu a "prisão do cangaceiro Passarinho" (Foto), seguindo mais 04 km encontra-se o povoado Alagadiço, andando mais 03 km chega-se ao povoado Serrote "Local onde Lampião matou o jovem João de Clemente", mais 2,5 km chega-se ao povoado Lagoa do Rancho "local onde Lampião matou o cangaceiro Sabiá" depois que esse estuprou uma moça chamada Rita de 15 anos de idade, por último chega-se na Várzea povoado que é entrada pro Raso da Catarina. A Várzea foi um dos maiores coitos de Lampião e a "Casa de Aristéia", onde os cangaceiros realizavam os bailes, ainda encontra-se em pé e o "coiteiro Arlindo Grande" é uma das fontes de informações das histórias daquele tempo.


ROTA DO CANGAÇO III

Saída de: Paulo Afonso – Bahia
Povoado Salgadinho
Povoado Juá
Brejo do Burgo

CASA DA CANGACEIRA LÍDIA

Saindo da sede, na direção da BR 210 entrando na altura do Motel Paradise, andando 15 km chega-se ao povoado Salgadinho encontrando-se a casa onde nasceu a cangaceira mais bonita do cangaço, a "Lídia, de Zé Baiano" e ainda a "Casa do coiteiro João Garrafinha", seguindo mais 06 km chega-se ao povoado Juá, local onde houve o maior contingente de jovens para o cangaço, na região, podendo se ver ainda os "Escombros da casa de João Lima", morto a pauladas, pela volante policial, como sendo coiteiro de Lampião.

Obs. O roteiro pode ser estendido até o Brejo do Burgo, tribo indígena dos Pankararé, onde ocorreu a maior concentração de cangaceiros para os grupos e subgrupos.

* Ainda encontram-se vários remanescentes da época do cangaço, como familiares de Inacinha, Catarina, Mourão, Arvoredo, etc.
ROTA DO CANGAÇO IV

Saída de: Paulo Afonso – Bahia
Povoado Arrasta pé
Povoado Santo Antonio
Povoado São José
Povoado Riacho

CASA DA CANGACEIRA DURVINHA

Saindo da sede pela BR 110, andando 04 km até a entrada da Vila Matias, passando depois pelo povoado Tigre, passando pelo povoado Salinas chegando até o povoado Arrasta pé, em um total de 21,5 km, local onde foi um dos maiores coitos de Lampião e seus seguidores e de onde saiu uma das cangaceiras mais famosas, a Durvalina Gomes de Sá, conhecida pela alcunha de Durvinha e que veio a falecer em junho de 2008.

No povoado arrasta-pé podemos ainda encontrar os "Escombros da casa de Durvinha", assim como vários familiares e remanescentes do cangaço.

Seguindo mais 15 km chega-se ao povoado Santo Antonio, onde se encontra a "Casa do senhor Argemiro", local onde Lampião almoçou por quatro vezes, existindo ainda, na frente da residência, um frondoso tamarindeiro que serviu de abrigo para os cangaceiros.

Segue mais 05 km até o povoado São José onde foi também um dos grandes coitos de cangaceiros, do São José passa pelos povoados Sítio do Lúcio, Bogó e sai no povoado Barriga já na BR 210, retornando mais 11 km chega-se ao povoado Riacho onde se pode desfrutar da gastronomia típica nordestina, saboreando a famosa carne de bode.

Obs. Esse roteiro pode ser acrescentado da visitação ao Museu Casa de Maria Bonita.

CIRCUITO DO CANGAÇO DE PAULO AFONSO - BAHIA.
João de Sousa Lima: Idealizador 
Marlos Guerra de França: Turismólogo
Departamento Municipal de Turismo-DEMTUR


Beba no :Açude do primo João

3 comentários:

Manoel Severo disse...

Valeu Kiko, esse João de Sousa é um danado mesmo.
Visitar Paulo Afonso e beber da fonte é algo inigualável, parabéns aos amigos.

Severo

Sérgio Dantas,', disse...

Excelente a exposição de João de Sousa. A maior parte destes lugares eu conheço. Em uma destas viagens fui, inclusive, gentilmente 'guiado' pelo autor do artigo por vários locais decritos na rota.
Em uma coisa, apenas, faço uma advertência: A LAGOA DO MEL, local do combate onde faleceu Ezequiel em 1931, hoje se encontra tomado por plantações do melancia. É melancia a dar com o pau.
Assim, algumas das pedras do lugar (as menores) foram deslocadas ou mesmo retiradas. (qual o objetivo disto?)
O que houve, segundo o ex-proprietário me falou, foi um projeto do atual governo - este que se diz preocupado com cultura e história - que desapropriou a terra.
Na minha modesta opinião, antes de desapropriar a terra, poderia ter sido riscado um quadrado de 15 x 15 metros, posto uma cerca para isolar e, depois, ter 'tombado' o local. Após isto, faria-se o assentamento (que acho justo) e se mantinha o sítio histórico. Ambos!!
Mas pouco ligam prá isso.
Lá, não há placas indicativas, as pedras que serviram de escudo no combate estão dentro da propriedade de um assentado e - claro - precisa-se da autorização deste para chegar até o local do tiroteio.
Nem as cruzes dos soldados restaram e a antiga lagoa foi aterrada. Alteração total do sítio anterior.
Somente a cruz de Zé Pretinho permanece, pois fica há uns dois quilômetros da 'finada' Lagoa, perto das ruinas da Casa de Dona Generosa. Esta escapou...
E vamos preservar a cultura e a história, com o apoio do nosso governo...
Abraço a todos.

IVANILDO SILVEIRA disse...

Parabenizo o incansável "JOÃO DE SOUSA LIMA", por essa excelente iniciativa, de traçar/divulgar os "ROTEIROS TURÍSTICOS RELATIVOS AO CANGAÇO", na cidade de Paulo Afonso/BA.

As observações feitas, logo acima, pelo amigo, Dr. Sérgio Dantas são muito pertinentes e preocupantes. É lamentável, como se trata a cultura em nosso país, e, especialmente, os sítios históricos ligados aos movimentos cangaceirista, messiânicos e tantos outros.
Coisa de país de terceiro mundo (rsrsrs).

Um abraço a todos.

IVANILDO ALVES SILVEIRA
Colecionador do cangaço
Natal/RN